Manifesto contra ataques e ameaças

Como todos bem sabem, faço parte da Onor Kester 10 G.
E antes da fusão entre a Miccelann e o Grupo Kester, que originou a nova marca, também fazia parte da equipe.
Sempre acompanhei de perto o trabalho desenvolvido por Guilherme Kalel.
Ele era bem conhecido nas paredes da Miccelann e da rede Santa Clara Saúde.

Em 2014, minha irmã começou a trabalhar como chefe de pesquisas no departamento de oncologia da empresa.
Em 2015, teve a oportunidade de o conhecer.
Em 2015 também eu tive essa incrível oportunidade.
Em 2016, Giovana tornou-se médica de Guilherme Kalel e responsável por seus tratamentos de saúde.
Passei a ficar mais próxima de seu trabalho, até ser trazida definitivamente a cooperar com a equipe, em dezembro de 2016.
Antes, tive algumas passagens rápidas, para conhecer um pouco do trabalho.
Comecei como Assessora Pessoal de Kalel, depois fui subindo, e hoje sou Jornalista e também Gestora de Administração e Finanças da Onor Kester.

Cada uma dessas minhas passagens me fizeram estar mais perto de Guilherme Kalel.
De compreender seu trabalho, os motivos pelos quais ele desenvolve.
E de entender melhor, as razões de cada um de seus projetos sociais.

Desde o ano passado enfrentamos uma série de ataques digitais.
Que neste ano se intensificaram.
O autor dos atentados mandante na verdade, foi identificado e hoje está preso.
Mas esses ataques não pararam.
Por mais que a Onor Kester reforce sua segurança, há sempre uma pessoa do grupo querendo nos prejudicar.
E com isso, prejudicar diretamente o trabalho de Guilherme Kalel.

Foi assim que Hackearam sua conta Google, clonaram seu celular, viram suas conversas e ligações, se passaram por ele ao se falar com outras pessoas.
Conseguiram dinheiro, desviaram ainda mais de suas contas bancárias, e invadiram informações sensíveis da nossa equipe.
Recentemente projetaram um vírus potente, enviado a membros da Onor Kester, incluindo Guilherme Kalel.
Numa nova tentativa de ataque que parece que não deu muito certo.
Isso porque, nossa equipe identificou o vírus e já está tomando as contramedidas contra a praga.
Mas, os ataques que antes eram digitais transcenderam o limite do aceitável.
Passaram a ser ameaças a vida de Guilherme Kalel.
Mesmo com 57 membros da organização criminosa na cadeia, e 43 deles condenados, ainda sim eles continuam se fortalecendo e crescendo.
Prova de que, o dinheiro corrompe de verdade o Homem.
Não há uma outra razão se não o pagamento pelos serviços, para que essas pessoas arrisquem tanto por nada.
Podem ser identificadas e presas pela polícia, mas sabem que também podem escapar pelas brechas da lei.
Por isso, continuam agindo.
A polícia aumentou nas últimas horas, a proporção de pessoas que estariam envolvidas no caso.
Mas agora, é necessário aguardar suas identificações.
Aguardamos, com a certeza de que estamos no caminho correto e que não vão nos parar.
Vamos continuar em frente, fazendo o que nos propusemos a fazer.
A Onor Kester vai seguir cada vez mais forte, mais unida, e com pessoas que de verdade, acreditam no trabalho desenvolvido por Kalel.
Que entendem, respeitam e mais do que isso, admiram, a cada ação tomada pelo Jornalista.
Ataques não vão nos segurar, ameaças de morte não irão nos calar, estaremos juntos e se cairmos, vamos nos levantar.
Porque nossa força é maior do que qualquer corrente digital.
Nossa força é maior do que qualquer grupo medíocre de pessoas.
Temos um incontável amor que nos une, e essa conexão segura vem de Deus.
E contra ele meus amigos, ninguém pode ou poderá.